Como enfrentar as fortes chuvas com segurança?

Matérias 15 de junho de 2022

Estamos vendo muitas cidades brasileiras decretarem situação de emergência por conta das chuvas intensas que vêm ocorrendo desde o fim de 2021. O número de munícipios afetados chega a quase 550, sendo a maioria deles em Minas Gerais e Bahia, mas também em Goiás, Pará, Tocantins, Rio de Janeiro, São Paulo e outros, somando 10 estados.

Não há como negar que a cada ano o mundo é mais e mais impactado pelos aspectos de clima. Algum tempo atrás, tínhamos características climáticas muito especificas no Brasil, mas hoje vemos eventos das mais diferentes proporções alcançando territórios inimagináveis. Além das fortes chuvas, os vendavais, furacões, ciclones e tornados, também têm mudado a vida de milhares de pessoas.

Um artigo publicado na revista Nature, divulgou o estudo que compara o crescimento econômico dos países com a quantidade anual de dias chuvosos e de dias com chuvas excessivas em cada um deles. O resultado aponta para uma correlação ainda não muito explorada em estudos sobre mudanças climáticas: quanto mais chuva e precipitação excessiva, menos a economia local cresce. Além dessa ligação entre crescimento econômico e as chuvas, os pesquisadores ainda perceberam que o aumento da poluição por queima de combustíveis fósseis é um dos causadores da má distribuição das chuvas ao longo do ano.

O setor de agropecuária da região de Jequitinhonha e Mucuri, em Minas Gerais, sentiu na prática os efeitos das tempestades sobre a economia local no último mês de 2021. Ainda não se calculou ao certo as perdas produtivas e prejuízos, mas sabe-se que pastagens foram comprometidas, animais morreram arrastados pelas enxurradas e o escoamento da produção de leite foi interrompido devido a problemas nas estradas e rodovias.

A influência dos fatores climáticos na economia é uma preocupação global de grande relevância para países desenvolvidos como Estados Unidos, Japão e Alemanha, principalmente se consideramos que os 5 principais riscos de longo prazo estão relacionados à área ambiental, de acordo com o Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial.

A solução mais inteligente é proteger as empresas

Garantir a estabilidade de receita dos negócios que estão expostos a fatores climáticos é o principal objetivo de um produto ainda pouco conhecido, o seguro paramétrico. Sua abrangência é ampla e pode atender diversas situações relacionadas ao clima como: excesso ou falta chuva, vento, sol, temperatura, entre outros.

Se uma empresa que produz suco de laranja vê seu faturamento afetado em função de uma estiagem na região de produção da fruta, se uma empresa de sorvetes tiver problemas com as vendas por conta de um verão com temperaturas baixas ou se chuvas fortes atrapalharem as obras de uma construtora, por exemplo, podemos construir uma apólice customizada para cobrir cada um dos riscos.

A Marsh tem abraçado o desafio de auxiliar seus clientes. A partir da análise de dados históricos que apontam para as maiores fragilidades das empresas relacionadas aos fatores climáticos, apólices de seguros são desenhadas de forma customizada, evitando grandes prejuízos que podem afetar profundamente o giro dos negócios.

É fato que o clima no mundo tem mudado drasticamente e os grandes eventos naturais ocorrem cada vez mais frequentemente, o que não pode acontecer é assistirmos a tudo isso sem nenhum tipo de planejamento que garanta o mínimo de proteção.


Por

Caio Lhano de Azevedo, Gerente de Vendas, Structured & Trade Credit, Parametric, Credit Specialties, Marsh Specialty


Link oficial: https://www.marsh.com/br/services/climate-change-and-sustainability/insights/how-to-face-heavy-rains-with-safety.html