Covid-19: a responsabilidade e os desafios da comunicação nas empresas

Matérias 18 de maio de 2020

        É verdade nua e crua, como bem diz nosso dito popular, que a Covid-19 mata cada dia mais e mais em nosso País. Verdade também que há tantos profissionais incríveis no combate incansável contra a doença em diversas frentes. Mas sabia que sua empresa é um importantíssimo soldado nessa guerra que está apenas no começo? Isso porque a comunicação com os colaboradores, clientes, fornecedores e sociedade tem papel fundamental, especialmente agora. Neste momento chave em que o propósito cria conexões, dou aqui dicas práticas para que as companhias fiquem ainda mais próximas de seus colaboradores e atendam aos anseios dos consumidores cada dia mais exigentes.

Para começar, a comunicação organizacional precisa ser estratégica, assertiva e buscar trazer soluções. Pesquisa realizada pela Edelman, o Trust Barometer 2020 – Confiança e Coronavírus, em dez países, incluindo o Brasil, no início de março, aponta que a comunicação do empregador é a fonte sobre o Coronavírus em que as pessoas confiam mais. De acordo com o relatório, 63% afirmaram que acreditariam em informações desse canal após uma ou duas exposições, contra 58% que confiariam em um website do governo e 51%, em uma mídia tradicional.

E os dados não param por aí. Os colaboradores querem clareza e transparência sobre as informações. Por exemplo: desde quantos colegas contraíram o vírus (57%) até como o Covid-19 está afetando a capacidade de funcionamento da organização (53%). Eles querem receber as informações via e-mail ou informativo (48%) e postagens no website da companhia (33%).

Os números retratam uma expressiva responsabilidade do setor corporativo. A pesquisadora, escritora, professora da pós-graduação da UEL (Universidade de Londrina) e especialista em Comunicação Organizacional Marlene Marchiori explica que o processo de gestão com o Coranavírus trouxe um olhar mais amplo, envolvendo a sociedade e o mundo; atendimento ao cliente, parceiros e fornecedores.

 “O primeiro movimento da empresa deve ser com os colaboradores e o contato deve ser diário. As lideranças também precisam ser acionadas, pois elas farão os trabalhos de proximidade com as equipes. Há necessidade de ter também dinâmicas frequentes institucionais, como discurso de diretores”.

Depois, segundo Marlene, entram no processo os novos stakeholders. “Você mostra em suas redes que está conseguindo passar segurança e bem-estar aos seus colaboradores. Pode ter até formadores de opinião nessa rede. É possível formar alianças, consciência coletiva em que você conecta pessoas e negócios. Também pode ser a hora de estender a comunicação para famílias dos colaboradores e para a comunidade”.

Na responsabilidade da comunicação, marcas com propósito claro já estão conectadas com seus usuários e têm mais articulação e conexão com o público. E, consequentemente, melhores resultados na crise. “Tais marcas desenvolvem estratégias e processos que facilitam a comunicação, tem agilidade na tomada de decisão, além de times conectados”, diz a especialista.

Em contrapartida, aquelas que ainda não se adaptaram têm desafio de reverem essa realidade para não serem atropeladas por quem já trilha esse caminho.

Propósito cria conexão

 

Afinal, não é de hoje que vivemos na era da Economia Afetiva em que os usuários se ligam às marcas por um vínculo emocional, vínculo que gera negócios. Ou seja, quanto mais a marca significa para mim, mais a valorizo. E, em um momento de incerteza e instabilidade emocional, é aí que as companhias têm oportunidade e dever de serem marcantes e fazerem a diferença com os que a fizeram chegar até onde estão. O consumidor é o “sócio” que merece mais respeito e atenção.

Tempo de Covid-19 é também de oportunidade para construção de legado. O que sua marca já fez para a sociedade?

Propósito, clareza, consistência, transparência e credibilidade são ferramentas fundamentais na batalha das informações para ajudarmos a sociedade a enfrentar o mal que se abate sobre nós. Vamos vencer mais essa!

Dicas práticas para empresas*

1 – Oriente e ofereça informações aos colaboradores para que eles tomem atitudes preventivas baseadas em orientações oficiais

2 – Cuide com colabores atentando-se a possíveis sintomas do Covid-19 ou mesmo em seus familiares, tomando cuidado com sua privacidade

3 – Crie condições para o trabalho remoto para preservar a saúde dos funcionários e, quando não for possível, reduza ao máximo os riscos

4 – Planeje todos os cenários possíveis de futuro para avaliar necessidades de deslocamentos dos funcionários

5 – Aprenda que todas as crises trazem aprendizados e promovem mudanças com melhorias na estrutura tecnológica da empresa e possibilidades de webconferências para reuniões mais assertivas.

*FONTE: Comunicar para prevenir: LiderCom debate sobre coronavírus

 

Link oficial: https://g5partners.com/insights/covid-19-a-responsabilidade-e-os-desafios-da-comunicacao-nas-empresas/